--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------> #NaHoraDeParar <--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Esses números e a impunidade crescem a cada segundo. v v v v v v v v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v
v v v v v

A violência doméstica e familiar contra a mulher passou a ser considerada crime a partir da aprovação da Lei n. 11.340, em 7 de agosto de 2006, que ficou conhecida como Lei Maria da Penha. Essa lei cria mecanismos para coibir e prevenir a agressão ambientada na convivência familiar e se tornou um instrumento de transformação social ao longo dos seus 11 anos de existência.

Nesse contexto, é importante entender e conseguir reconhecer quais são os tipos de violência e de que modo isso pode ajudar inúmeras vítimas a denunciarem os seus agressores.
01. Violência Física
02. Violência Patrimonial
03. Violência Sexual
04. Violência Psicológica
05. Violência Moral

Ciclo da violência

As mulheres que são vítimas da violência doméstica e familiar estão submetidas a um ciclo que se repete, podendo ser identificadas 3 fases principais da agressão: aumento da tensão; ato de violência; arrependimento e comportamento carinhoso.
#TáNaHoradeParar esse ciclo.

Entenda o Ciclo

Quando a violência termina,
a vida recomeça.

Maria da Penha
Prevenção
e combate à violência

A informação é uma grande aliada das mulheres quando o assunto é violência doméstica e familiar: é preciso conhecer as diversas formas de agressão e promover o acesso à Lei Maria da Penha em larga escala.

Além de ações educativas capazes de combater os estereótipos de gênero e as desigualdades nas relações de poder entre homens e mulheres, existem muitos instrumentos para assistir e proteger mulheres em situação de violência.

O mundo modifica
para os que reagem.

Carolina de Jesus,
escritora